top of page

Síndrome do rosto hiper preenchido: como evitar?


mulher com o rosto hiper preenchido

©Reprodução Instagram @charlottegshore


Essa expressão passou a ser citada em alguns artigos científicos e sites de profissionais da área de estética há pouco tempo. Embora não seja algo recente - se considerarmos que o colágeno bovino foi lançado em 1981¹ - o uso dessa expressão é necessário se queremos nos posicionar contra resultados de preenchimento facial "harmonização facial" que pareçam inadequados ou exagerados.


A síndrome do rosto hiper preenchido se refere a uma aparência artificial da face como consequência da injeção de altas doses de preenchedores, principalmente o ácido hialurônico. Esse resultado é visto em mulheres que preenchem os lábios (como na foto acima) e as bochechas de forma a aparentar um resultado que parece... "demais".


Pelo menos um dos fabricantes de ácido hialurônico (Restylane) recomenda limitar a injeção de ácido hialurônico a até 6mL por sessão. Essa recomendação se baseia mais no fato de que a segurança do produto não está bem estabelecida para doses superiores do que numa preocupação com um resultado ruim. A depender da área no rosto onde o produto for preenchido, de qualquer forma, essa dose já é considerada alta. Raramente se faz mais que 1mL em lábios ou 2mL no sulco nasolabial, por exemplo. Algumas pessoas precisam de doses altas para terem resultados satisfatórios no preenchimento de mandíbulas, caso no qual esse volume pode ocasionalmente ser alcançado.


Para evitar a síndrome do rosto hiper preenchido, recomenda-se cautela nas aplicações. O ácido hialurônico tem uma duração mínima de 6 meses, enquanto o intervalo entre as sessões pode ser de 1 mês. A maioria dos autores sugere preencher menos do que parece ser necessário: uma absorção de água e estímulo do colágeno podem ocorrer durante semanas após a aplicação. Assim, é apenas depois de vários dias da aplicação que se terá o resultado final do tratamento. Após esse período, caso o resultado ainda não esteja satisfatório, uma nova injeção pode ser feita.


Várias pessoas com a síndrome do rosto hiper preenchido obtêm tal aparência por escolha (isto é, consultam vários profissionais até que algum aceite tratar a pessoa de forma a deixar o rosto com uma aparência artificial). Algumas delas sofrem de uma condição chamada transtorno dismórfico corporal. Trata-se de um transtorno psiquiátrico no qual a pessoa tem uma preocupação excessiva com a aparência. Os portadores desse transtorno podem passar horas durante o dia reparando em detalhes do corpo e do rosto e sofrem com percepções distorcidas sobre sua composição corporal (eg, se sentem fracas quando são musculosas). Contraindica-se qualquer tratamento estético para as pessoas que vivem com esse problema, porque a literatura é consistente ao demonstrar que o desconforto com a aparência não melhora após. Pessoas que vivem com o transtorno dismórfico corporal se expõem a riscos desnecessários (eg, cirurgias plástiCas de repetição) e o potencial de ter resultados catastróficos.


Pode-se especular que várias das pessoas citadas em portais em notícias como a pessoa que fez 72 cirurgias plásticas vivem com esse transtorno. Recomenda-se encaminhamento para serviços de saúde mental especializados nessa área. Existem técnicas de psicoterapia (como terapia cognitivo-comportamental) que adereçam os vários elementos desse transtorno para diminuir os sintomas.


O objetivo do tratamento com preenchedores faciais raramente será o de se obter um rosto hiper preenchido. Os portais de fofocas frequentemente selecionam casos catastróficos para gerar reportagens sensacionalistas que irão viralizar nas redes sociais. Isso gera um viés de seleção que deixa muita gente com medo de fazer preenchimento facial. Casos raros de rostos hiper preenchidos parecem comuns quando viram referência do que é a harmonização facial nesses conteúdos online.


É uma minoria das pessoas, na verdade, que terá resultados artificiais. É possível que você conheça várias pessoas que fazem preenchimento facial e não saiba porque os resultados são muito naturais. Várias pessoas fazem o preenchimento de rotina para que uma imperfeição percebida não volte a aparecer (eg, preencher o sulco nasolabial antes que ele adquira a aparência anterior ao primeiro tratamento). É muito difícil dizer se uma pessoa fez preenchimento facial, assim como é difícil dizer que alguém fez Botox - apesar da impressão popular que este último deixa o rosto sem expressão facial, o que não é verdade.


Você pode ler sobre os potenciais locais de aplicação do ácido hialurônico, aqui. Também pode ler sobre dúvidas comuns em relação ao tratamento, aqui.


Dr. Rafael Muller de Carvalho

Médico CRM-SP 218482

Pirassununga - SP


1 Kontis TC, Rivkin A. The history of injectable facial fillers. Facial Plast Surg. 2009 May;25(2):67-72. doi: 10.1055/s-0029-1220645. Epub 2009 May 4. PMID: 19415573.



Comments


bottom of page